Constipação Intestinal em crianças

 É comum ouvir um adulto dizer que está com prisão de ventre. Saiba que as crianças precisam de atenção nesse sentido, pois também é normal elas sofrerem desse problema.        

A prisão de ventre ou constipação intestinal é a dificuldade de evacuar que pode se prolongar por alguns dias. Acredita-se que uma a cada três crianças em idade escolar apresente retenção de fezes.    

Fique atento… se a criança sempre evacuou três vezes na semana e não todo dia, não quer dizer que esteja com prisão de ventre, apenas que seu organismo trabalha dessa maneira.

Não existe uma frequência “normal” para evacuação. É preciso pensar no que é o normal para o seu filho. Há crianças que evacuam a cada dois dias e não se incomodam com isso. Já outras depois de quase toda refeição. Tudo depende do organismo, de seu nível de atividade física e da alimentação.

Frutas x guloseimas – Normalmente a prisão de ventre está relacionada aos hábitos alimentares das crianças. Aquela criança que come guloseimas diariamente, com pouca ingestão de frutas e bebe pouca água e muito leite com achocolatado, tem maior chance de ficar constipada do que aquela que toma um bom café da manhã, com cereais, fibras e vitamina de frutas, além de fazer suas refeições com legumes e verduras e beber bastante água.

Por isso os hábitos alimentares devem ser regrados desde cedo, começando com o melhor alimento de todos: o leite materno que, além de fornecer tudo o que o bebê precisa, ajuda a flora intestinal se desenvolver. As papinhas não devem ser batidas no liquidificador e, sim, amassadas no garfo. As frutas e legumes triturados no liquidificador perdem as fibras que induzem o intestino funcionarem melhor já que retém água no intestino deixando o bolo fecal mais macio e de fácil eliminação.

Os pais também são modelos para os filhos. Se a mamãe ou o papai não come frutas ou não bebe muita água, provavelmente seus filhos seguirão o mesmo caminho, pois sempre tiram como exemplo o que os pais fazem.

Tem tempo pra tudo – Outro fator de prisão de ventre em crianças é que para não parar de brincar e continuar o que estava fazendo sem interrupção, a criança “segura” as fezes contraindo os músculos e esfíncter da região anal, deixando a sensação da vontade de evacuar ter ido embora. O problema é que as fezes ficarão mais tempo no intestino, levando ao ressecamento e sua eliminação será mais difícil.

Assim, quando a criança sentir vontade de evacuar novamente e for ao banheiro, terá que fazer muita força e sentirá dor, podendo eliminar fezes com sangue.  Desse modo, a hora de evacuar torna-se tensa e o “segurar” as fezes mais constante, tornando o bolo fecal ainda mais duro e seco e a evacuação ainda mais dolorida, como um ciclo vicioso.

Pouca atividade física. A movimentação do corpo aumenta a irrigação sanguínea do sistema digestivo. Se ele não fizer muita atividade física, pode ter dificuldade na hora de fazer cocô.

A constipação intestinal pode ter relação com algum aspecto emocional. Quando os pais decidem retirar as fraldas da criança podem fazer de maneira muito agressiva e exigente e, às vezes, a criança não está preparada para isso, causando um temor na hora de evacuar ocasionando a prisão de ventre.

Caso a prisão de ventre continue mesmo com uma alimentação saudável, procure um médico que poderá examinar com mais precisão a alteração.

Alguns sinais de prisão de ventre:
- A criança evacua menos do que de costume, principalmente se já está há quatro dias sem evacuar e tem dificuldade para eliminar as fezes.
- Fezes muito duras e secas, causando dor.
- Abdome duro ao toque.
- Dor de barriga que melhora depois da evacuação.
- Traços de sangue nas fezes ou no papel higiênico, normalmente devido a fissuras na pele do ânus, provocadas pela passagem das fezes ressecada.

Como tratar a prisão de ventre?

- Evite dar alimentos que “prendem”, como arroz, banana, maçã e cereais, e diminua o leite e derivados.

- Aumente a ingestão de fibra. Compre pães, biscoitos ou cereais matinais integrais, e aumente a oferta dos alimentos que “soltam”, como mamão papaia, ameixa preta, feijão e brócolis.
- Dê bastante líquido ao seu filho. Para saber se ele está bebendo o suficiente, observe se ele faz xixi a cada cinco ou seis horas, no mínimo.

- Incentive-o a correr e brincar bastante todos os dias.
- Faça uma massagem na barriga da criança, três dedos abaixo do umbigo. Pressione com seus dedos até sentir uma massa dura. Faça uma pressão constante no local, por cerca de três minutos, mas sem incomodar seu filho.
- Incentive-o a ir ao banheiro assim que tiver vontade. Se ele nunca sente vontade, faça-o passar alguns minutos sentado no penico ou na privada depois do café da manhã e do jantar. Crianças que sofrem muito de prisão de ventre podem perder a sensibilidade de perceber que precisam evacuar.
- Converse com o pediatra. Ele pode sugerir um leve laxativo, algum tipo de lubrificante natural, fibras solúveis ou supositórios. Supositórios de glicerina ou medicamentos para aplicar no ânus são eficientes se empregados de vez em quando, mas não podem ser usados como regra, porque a criança pode ficar dependente deles para evacuar.

Vanessa Cunha – Nutricionista CERA

Leave a Reply